Faixa a faixa: Goela a Abaixo – Liniker

Texto por Guilherme Barros

O segundo álbum de Liniker apresenta uma evolução musical bastante perceptivel e é possível observar canções com mais intimidade, desenvolvidas de forma mais madura. Nesse álbum a identidade já conhecida do grupo está presente e ainda mais firme em cada uma das letras e arranjos.

1ª Faixa - Brechoque

O álbum se inicia com uma musica que mais parece uma poesia, frases são ditas e cantadas com o timbre forte de Liniker que em poucos minutos nos traz um pouco sobre o que o álbum fala, que envolve amor, momentos, pessoas e intimidades.

2ª Faixa - Lava

Essa música foi lançada a mais de um ano pela banda, trás uma vibe bem diferente, tem muito tambor e palmas que dá a sensação de grupo unido, fala sobre o momento que o amor nasceu. Com uma presença forte de instrumentos de sopro ritmados e back vocals a faixa passa uma vontade de se jogar na dança. Essa canção contrasta com a interior por ser mais preenchida de musicalidade e serve como uma canção "abre alas".

“Quiséramos nós sermos um abraço, pra que no laço, fita, cachoeira e mormaço”

3ª Faixa - Beau

Com mistura inglês com português, fala de um momento com a alguém, sobre uma noite que foi bem envolvente e trouxe uma boa historia.

Novamente eles abusam do jazz e do blues, faz você se sentir num bar com meia luz tomando um drink. Tem um pouco de ritmos caribenhos nela, vocal e piano fazem uma bela combinação aqui, nos remete o estilo de Ray Charles.

“Pela contramão o meu sol em Leão, beijo a tua boca, não faço a louca”

4ª Faixa - De ontem

Uma faixa que eu estou sempre ouvindo, fico louco e bem empolgado quando toca. A faixa anterior é vista por mim como uma parte da história contada em De Ontem. A historia de um amor, de um encontro bem maravilhoso, sabe quando você tem um encontro legal com alguém e acorda no dia seguinte radiante? Então, essa é a música que com certeza saiu de um dia assim, a banda entrega muito bem os sons, tem sopro que combina com a voz da Liniker.

“Desertos de sereias teceremos uma teia no beijo meu mar”

5ª Faixa - Boca

“E na boca, aqui dentro de mim tudo buzina”

Sempre digo que este disco daria um bom disco em audiovisual, com todas as faixas virando clipes e seguindo uma história, porque nitidamente que em Boca, a Liniker está falando do mesmo assunto, que a pessoa De ontem está fazendo festa dentro dela, ela está dançando e se amando. Eu nessa faixa sempre tenho vontade de aprender tocar saxofone, trompete ou qualquer instrumento de sopro, acho que isso se percorre pelo disco todo.

6ª Faixa - Bem Bom
(Feat. Mahmundi)

Única faixa com parceira na composição, mas segue o ritmo do disco, Liniker sempre bem poeta, começa a descrever sobre sua tour e como ficou lembrando do amor enquanto viajavam, com é bem bom e sobre sair juntinhos, muito amor. Essa faixa te dá um banho de intimidade é fácil fechar os olhos e recordar de algum momento íntimo marcante.

“Atravessei um oceano inteiro, refiz meu cabelo”

Eu quando tenho aquele tempo bem gostoso com a pessoa que gosto, fico pensando em momentos bem específicos que passamos juntos, acho que essa música trás um pouco disso também.

7ª Faixa - Calmô

Uma faixa já escrita por Liniker há alguns anos, foi redesenhada e encaixa perfeitamente no disco, eu vejo ela como o inicio do Lado B do disco. Traz uma vibe mais relacionada ao carinho e a leveza, suas palavras e sentimentos passados também demonstram isso, tem uma viés de lembrança boa. Primeira música do disco a virar clipe.

“Coloca calma, carinho e tempero Zen, uma lambida no zoinho é tão gostoso também”

8ª Faixa - Textão

Essa parte do disco é um texto feito pela própria Liniker, não tem instrumentos não tem edição, um texto lido com muita força. Fala sobre sexo, sobre como lidamos com esse ato que todos fazem e não é mais verdadeiro, como é à dois e não apenas ao agrado de um só.

“Não se trepa em 15 minutos. Pois até charuto precisam de tempo aceso pra queimar”

9ª Faixa - Claridades

Aqui começa a vir a parte melancólica e sentimental do disco, traz a noite como um lugar de reflexões e como a claridade das coisas ditas e vividas entre as pessoas é importante.

“Amar é pra se corrigir”

Um piano sofriiiiiido, um tom de melancolia, Renata entra com um vocal tão belo, trás sua beleza que de verdade se junta em uma união maravilhosa com a Liniker, da pra sentir a Liniker chorar nessa faixa. Canção pra ouvir sozinho no quarto curtindo a melancolia e cantando alto.

10° Faixa - Amarela Paixão

Que faixa gostosinha, sensível o amor envolve o disco todo, lembranças e sentimentos jogados ao mundo. Sensação de que a Liniker viveu um tempo morando com o amor da vida dela, seu jeitinho fofo de descrever isso, apaixona todos

“Me somar pra depois, ser o que eu quiser”

11ª Faixa - Intimidade

Essa machuca e faz chorar, p* que dor, a Liniker realmente abriu o peito aqui e chorou. Essa música passa uma sensação de aconchego e pertencimento.

“Vem me visitar de madrugada e colocar tua mão em mim que eu deixo”

Vocal e piano, sentimentos e sinceridade foram jogados nas letras e teclas do piano. O choro no final e o suspiro arrebatador, me arrepia.

Essa canção ganhou clipe com participação de Linn da Quebrada, direção de Sabrina Duarte, fotografia de Milena Sota e uma equipe toda preenchida por mulheres.

12ª Faixa - Gota

Eu sinto essa faixa uma sequência da anterior em todos os sentidos e contextos, elas falam da mesma dor. Ficar com aquele amor percorrendo pela cabeça, pelo seu dia, pelo seu existir.

Fala sobre ter alguém ali e você não querer que aquilo acabe, essa música é sobre isso, sobre viver e temer a efemeridade das coisas e pessoas. Parece que a Liniker abre as páginas de um diário íntimo nessa música, sem medo de se expor.

“Camuflada, exposta, quem gosta de mim só eu, só eu sou eu”

13ª Faixa - Goela

Um áudio de Linn da Quebrada, trás o início do fim, um vocal montado por mulheres maravilhosas (Mel, Tassia Reis, Linn da Quebrada, Renata Essis, Liniker) é o coro final.

As palavras Respeito e Amor são repetidas varias vezes na faixa, além de Carinho…

“O que ela quer… Carinho!!!”
Finaliza bem com esse sentimento de desejo por mais carinho que está nítido na faixa e no disco, Liniker pede por mais carinho não só pra ela mas para todos, sem exceções, e eu desejo o mesmo.