ID Entrevista| PerifaCon: conheça e saiba tudo sobre a próxima edição

Por Isadora Marques

Conversamos com uma das criadoras do projeto nerd da periferia, Luize Tavares, sobre a criação do projeto e do que há por vir

Conhecida como a primeira Comic Con da favela, a PerifaCon é um iniciativa criada por apaixonados por cultura pop e quadrinhos que, porém, cresceram longe das regiões centrais da cidade e por isso tinham menos acesso a eventos do gênero como a Comic Con. Por esse motivo resolveram criar a seu próprio evento mais perto de casa, com a intenção de quebrar as barreiras culturais e fomentar a cultura pop dentro da periferia, dar espaço para artistas periféricos mostrarem e promoverem seus projetos.

Atualmente, o PerifaCon se prepara para a próxima edição que acontecerá nos dias 11 e 12 de abril de 2020 no Centro de Formação Cultural da Cidade Tiradentes. O evento está em busca de apoio, parcerias e patrocínios para a próxima edição, você pode apoiar clicando aqui. Além disso foi lançado um podcast semanal com convidados para tratar de temas como "A Cena do Funk Paulista" e "Afrofuturismo".

Nesta entrevista a Luize Tavares, criadora e produtora do PerifaCon nos contou sobre a experiência da primeira edição, mercado e novidades da próxima edição!

Que situação foi chave para o surgimento da ideia de criar o Perifa?

Foi um gatilho que surgiu no ano passado. Não foi uma coisa de infância, assim. Claro que nossas experiências, as coisas e conteúdos que a gente consome desde infância também influenciou, mas a ideia nasce no ano passado, a partir da problematização, que a gente faz. A gente eu digo, nós do PerifaCon, somos amigos há anos e sempre tivemos o costume de problematizar. Num momento começamos a nos perguntar "Pô, já que a gente consome tanto esse tipo de conteúdo, a gente ama esse universo, por que a gente não consegue acessar as grandes convenções?" Nesse momento a ficha caiu e chegamos num consenso "Beleza, por que a gente não faz a nossa própria ComicCon?”. Ai decidimos criar a primeira edição do PerifaCon, que a princípio era para ser uma coisa pequenininha.

Expositores e consumidores na primeira edição do PerifaCon em 2019
Foto: Foto por: @jef.degado // Portal KondZilla

Como foi o processo de arrecadação de recursos e parcerias para a produção do evento, levou muito tempo até conseguirem concretizar? E quais foram os maiores desafios?

Foi bem complicado. Fizemos uma arrecadação coletiva pela internet e conseguimos arrecadar um pouco mais de oito mil reais. Depois aos quarenta e cinco do segundo tempo arranjamos um patrocínio de cinco mil reais, isso foi o que ajudou o evento a fechar as contas no azul. Logo após isso, já pensamos na programação. Mas o dinheiro era algo que preocupava bastante a gente. Porque a gente só conseguia fazer um evento do jeito que foi, se a gente tivesse dinheiro pra fazer, certo?! Mas, tivemos muita sorte, porque muitas das coisas que a gente conseguiu fazer foi através de parcerias, por exemplo: todo material gráfico e impressões do PerifaCon, conseguimos dessa foram. Foi um período batendo de porta em porta, de gráficas com o nosso pendrive na mão e pedindo para pessoas contribuírem de alguma forma com o evento. A gente ia nas gráficas e falava “a gente é do PerifaCon, um projeto assim e assado. A gente não tem dinheiro” (risos). E a gente tenta dar uma contraproposta, sabe? Sei lá, “a gente coloca seu logo no nosso site, ou algo assim”. Então foi concebido muito nessa linha de parcerias.

Vocês tinha ideia do tamanho do sucesso que o PerifaCon teria?

Não imaginávamos qual tamanho o evento teria, no dia bem de manhãzinha achamos que ninguém fosse aparecer, o que deixou a gente bem ansioso. Mas, em determinado momento começou a se formar uma fila do lado de fora do portão e ai a gente pensou “Beleza, algumas pessoas vieram”, quando abrimos os portões as pessoas foram correndo desesperadamente para fazer o credenciamento e o volume de pessoas só foi aumentando de tamanho. Quando percebemos o local tava tão lotado que tivemos que fazer uma pausa do credenciamento em função disso. Mas foi bem gratificante ver aquele espaço tão cheio de gente indo lá pra curtir o nosso evento. Foi uma total surpresa e a nossa ficha só caiu depois que o evento acabou, quando a gente viu comentários, opiniões e conversou com as pessoas de fato.

Pessoas fazendo fila em frente a Fábrica de Cultura do Capão Redondo na primeira edição do PerifaCon em 2019. Foto: Foto por: @jef.degado /Portal KondZilla

De que forma acreditam que essa iniciativa pode mudar o âmbito social que vivemos?

Sim, eu acho que a iniciativa ajuda as grandes empresas e marcas a olharem mais para a periferia e acho também que a PerifaCon ajuda a colocar em evidência essas pessoas que estão produzindo esse tipo de cultura. Mostrar elas pro mercado não só como consumidores, mas como produtores desse tipo de conteúdo. Isso é de extrema relevância, porque a partir do momento que a gente mostra essas pessoas como produtoras do conteúdo, a gente dá outras opções de pessoas para essas marcas trabalharem. E muitas pessoas tem feito diversos trabalhos depois do evento fechado grandes trabalhos por ai com grandes marcas, então é muito importante que isso aconteça. É muito gratificante ver o resultado acontecendo pós evento.

Pensam em lançar produções de (filmes, curtas, quadrinhos, games) independentes dentro da PerifaCon, como a Comic Con faz?

Na real a gente tem muitas ideias sobre o lançamento de novas produções dentro do evento, mas temos muitas limitações que são baseadas no tempo e dinheiro. Nós não temos pessoal suficiente para fazer tudo o que a gente gostaria de fazer e nem recursos financeiros . Mas entre as nossas ideias, nós queríamos muito lançar um quadrinho no Perifa Con 2020, a gente queria começar a produzir material audiovisual pra internet e pro Youtube, pro IGTV. A única produção é em parceria com a editora Mino , o lançamento de 7 quadrinistas negros, que nesse tempo estão tendo aulas com grandes nomes dos quadrinhos e da ilustração lapidando toda técnica do desenho para então lançar os quadrinhos no ano que vem. Ideias não nos faltam, o que falta mesmo é a estrutura, para colocar todas essas ideias na rua. Estamos nesse momento tentando nos reestruturar, fazer a segunda edição do evento e quem sabe no futuro quando estejamos mais estruturados a gente consiga abraçar mais coisas pra gente produzir.

Cosplayer vestida de Super Choque na primeira edição do PerifaCon em 2019

O que estão pensando para a próxima edição? Preveem uma edição que aconteça em diferentes partes da periferia de SP?

A ideia que o PerifaCon seja itinerante mesmo! Que ele vá para diferentes periferias do Estado de São Paulo e quem sabe até do Brasil. A primeira foi na Zona Sul, Capão Redondo, e a segunda vai ser Cidade Tiradentes, na Zona Leste. Então, a ideia que ele seja itinerante e que rode todas as quebradas da cidade, assim. As intenções do PerifaCon são: criar pontes entre os artistas periféricos e os artistas já consolidados no mercado, então a gente quer sempre trazer grandes nomes, grandes marcas e grandes empresas de entretenimento para dentro do evento. Queremos proporcionar uma experiência de comic com pra quem vai ao nosso evento e então é importante que essas marcas que produzem o conteúdo que essas pessoas consomem estejam lá. A partir disso temos feito algumas ações pontuais durante o ano. Temos o Narrativas Periféricas com a editora Mino que vai lançar 7 quadrinistas negros no PerifaCon 2020 , a gente fez um encontro com alguns expositores no Twitter para apresentar os trabalhos deles, fizemos uma parceria com a Tuner para levar 4 mil pessoas de periferia para a casa Warner. São pequenas ações que aos poucos vão ajudar a mudar e contribuir para o mercado nerd geek pop crescer nas periferias. Isso auxilia para que consigamos contribuir com mudança não só no âmbito social como no mercadológico.

Serviço:
PerifaCon
Data: 11 e 12 de abril de 2020
Local: Centro de Formação Cultural da Cidade Tiradentes
Endereço: R. Inácio Monteiro, 6900 - Conj. Hab. Sitio Conceicao, São Paulo - SP
Contato para apoios e parcerias: equipeperifacon@gmail.com