Resenha | O Filme do Bruno Aleixo: uma autobiografia nada biográfica

Por Paulo Ferreira

Bruno Aleixo começou sua carreira dando conselhos malucos em vídeos curtíssimos, mas o personagem português acabou caindo no gosto da internet e a fama logo veio. Antes interpretado por um ewok animado (sim, aquela raça alienígena de bichos de pelúcia apresentada em Star Wars), o rosto de Bruno Aleixo sofreu uma mudança drástica quando ele ganhou seu próprio talk show na TV portuguesa, o Programa do Aleixo.

Quase 12 anos depois da estreia do personagem na televisão, os personagens criados por João Pombeiro, Pedro Santo e João Moreira – que também dublam, animam e dirigem diversos personagens – chegam aos cinemas com O Filme do Bruno Aleixo. Seguindo o mesmo estilo dos vídeos e programas anteriores, o longa-metragem traz uma proposta bem simples, porém funcional: Bruno se une aos colegas na mesa de um café para pedir ideias para o seu filme, já que ele deixou tudo para última hora.

Essa é a deixa para que os personagens naveguem por diversos gêneros em busca da ideia perfeita, indo da ação ao terror, transitando por gêneros televisivos como sitcoms e novelas brasileiras. Todas essas ideias são arrematadas por uma história principal, contada em duas partes por um dos amigos de Bruno, o Homem do Bussaco: um suspense policial em que os personagens animados são substituídos por atores. Nela, Bruno Aleixo recebe um pedido de resgate por seu irmão e, com a ajuda de Bussaco, precisa descobrir uma forma de salvá-lo.

Enquanto algumas piadas são fáceis de serem entendidas, outras podem ser mais difíceis de serem digeridas. Ao que parece, se você não estiver entendendo muito bem alguma piada do filme, é provável que a piada no caso seja você mesmo. Há uma ou duas situações assim no filme, então é melhor não contar para deixar a experiência intacta – e conservar a sua cara de trouxa ao ver as cenas.

Outra parte memorável acontece quando transformam a ideia do filme ser uma sitcom em um filme de terror, com os personagens sofrendo mortes horríveis nas mãos de um... esfregão assassino. Uma piada recorrente no filme acontece quando os personagens resolvem trocar partes da trama, personagens ou até mesmo o título e elas vão mudando conforme eles dão suas opiniões, criando aquela velha comédia por repetição.

Em geral, a comédia d'O Filme do Bruno Aleixo é baseada nos diversos motes e clichês do cinema, então não há tantas piadas que se percam por conta da regionalidade ou do dialeto de Portugal – até porque o filme conta com legendas em português brasileiro caso você não consiga entender alguma expressão. Existem também algumas referências aos vídeos e programas passados de Bruno Aleixo, como é o caso com a piada com o pedaço de pau, mas nada que estrague a diversão dessa comédia nonsense.